Ver todos >

Responsáveis da Educação defendem aposta num ensino mais “experimental”

Sessão de abertura - STEM Discovery DayUm ensino mais experimental, atrativo e motivador, que acompanhe a inovação, as novas tecnologias, e que seja capaz de preparar os jovens para aquilo que é a realidade do mercado. O modelo foi defendido esta terça-feira por responsáveis da área da Educação no STEM Discovery Day, um encontro dedicado à importância da gamificação e à promoção das STEM nas salas de aula, e que juntou perto de uma centena de professores, alunos e empresas no Parque Tecnológico de Óbidos.

“Se queremos futuros cidadãos do século XXI, precisamos de pessoas para quem o ato de aprender seja um ato de felicidade. Precisamos de alunos, de futuros cidadãos que gostem de aprender”, começou por afirmar, na ocasião, José Vítor Pedroso, diretor-geral da Educação.

“As STEM (acrónimo de Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática) vivem-se praticando. É preciso que o ensino seja experimental, que se faça, que se realize, que seja atrativo (…). As aulas têm de ser um momento de prazer, de descoberta, e que alimentem a curiosidade dos alunos. Têm de ser um espaço de trabalho colaborativo. É preciso que os nossos alunos aprendam a trabalhar em colaboração e que esse aprender resulte também de professores que trabalham de uma forma colaborativa, interdisciplinar. É esta escola que vai dar resposta aos desafios de hoje”.

Na mesma linha, Maria do Céu Santos, diretora do Agrupamento de Escolas Rafael Bordalo Pinheiro, afirmou que “os alunos aprendem efetivamente mais, fazendo. O que vai no sentido do dia de hoje: aprender com os jogos, com a prática”. Também “a saída da sala, da escola, e a aproximação às empresas, ao ‘mundo real’, é fundamental”.

Humberto Marques, presidente da Câmara Municipal de Óbidos, reconheceu que “quem pensa a coisa pública e a escola pública do futuro tem um enorme desafio pela frente, porque estas gerações vão mudando o seu foco e temos de acompanhar esta dimensão. Fico feliz quando o Mundo discute aquilo que é efetivamente importante na Educação e fico feliz por perceber que existem empresas a perceber que a Educação está para além das paredes da escola”.

“É possível utilizar os jogos como ferramenta educativa”

Num dia dedicado a discutir e a experimentar dinâmicas ligadas às STEM e à gamificação, Manuel Pimenta, Lead Gamification Designer da Fractal Mind, afirmou que “é possível utilizar os jogos como ferramenta educativa. Está provado, há dados, resulta. Basta ter vontade e abertura para o fazer”.

O jogo é “uma viagem de aprendizagem”, com “uma ligação direta às nossas emoções”. “Obriga-nos a pensar de forma criativa, faz-nos procurar a novidade. Desafia-nos regularmente”, servindo para socializar, para ultrapassar obstáculos. “Não é só entretenimento. Há sempre uma aprendizagem”.

Refira-se que o STEM Discovery Day foi promovido pelo Parque Tecnológico de Óbidos, Direção-Geral de Educação, município de Óbidos e CFAE – Centro Oeste. O evento fez parte da STEM Discovery Week 2018, uma iniciativa internacional conjunta que convida projetos, organizações e escolas de todo o mundo a celebrar percursos profissionais e estudos nas áreas da Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (STEM).